PERFIL DOS CURSISTAS DO XX CURSO DE FORMAÇÃO MISSIONÁRIA 2012

Quantidade de participantes: 61

Masculino: 28
Feminino:  33

Classificação por seguimentos:
Leigos/as: 31
Sacerdotes: 02
Religiosos/as: 14
Leigas consagradas: 02
Postulantes: 10
Noviça: 01
Seminarista: 01

Estados e número de representantes:
Maranhão: 41
Piauí: 12
São Paulo: 03
Roraima: 03
Tocantins: 01
Distrito Federal: 01

Arqui/Dioceses presentes:
Diocese de Bacabal: 09
Arquidiocese de Teresina: 08
Arquidiocese de São Luis: 08
Diocese de Brejo: 08
Diocese de Coroatá: 07
Diocese de Balsas: 04
Diocese de Roraima: 03
Diocese de Caxias: 02
Diocese de Oeiras:02
Diocese de Viana: 02
Diocese de Bom Jesus: 02
Diocese de Pinheiro: 01
Diocese de Parnaíba: 02
Diocese de Miracema: 01
Arquidiocese de Brasília: 01
Diocese de Marilia: 01
Diocese de São Paulo: 02

Atividade Pastoral:
Catequese
Juventude Missionária
Conselho Diocesano de leigos
Pastoral vocacional
Batismo
Infância e adolescência Missionária
Conselho Missionário diocesano
Conselho Missionário do seminário
Assessor bíblico 
Animação de CEBs
Ministro da Eucaristia
Ministro da Palavra 
Pastoral da Criança
Pastoral do Menor
Pastoral da juventude
Pastoral da Pessoa Idosa
CEBI
Missionário das SMP
Animação dos Quilombolas
RCC
Liturgia
Coordenação de comunidade
Pároco
Formador de seminário
Formador de lideranças

Faixa Etária:

17 a 21 anos: 10 pessoas
22 a 40 anos: 29 pessoas
41 a 50 anos: 08 pessoas
51 a 60 anos: 05 pessoas
61 a 70 anos: 06 pessoas
Acima de 70 a: 02 pessoas

Fonte: http://www.franciscanosmapi.org.br/
 

Simpósio em Belém discute a Amazônia

“A Amazônia que temos e a Amazônia que queremos” foi o tema do 2º Simpósio realizado em Belém (PA) nos dias 27 a 29 de outubro, encontro que contou com a presença de 80 pessoas das pastorais, representantes de dioceses, religiosos e da Cáritas do Regional Norte 2 da CNBB (Pará).

A assessora da Comissão Episcopal Pastoral para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) irmã Maria Irene Lopes, juntamente com o diretor nacional das Pontifícias Obras Missionárias (POM), padre Camilo Pauletti, participaram do Simpósio.

“A Amazônia sofre por causa de um modelo econômico que privilegia o lucro acima da vida do povo e do respeito à natureza: desmatamento, queimadas, agronegócio, madeireiras e mineradoras.
Os grandes projetos são decididos fora da Amazônia, visando interesses que não beneficiam os amazônidas. É urgente analisar as consequências desses projetos”, sublinhou irmã Irene sobre a importância das discussões no Simpósio. Ela também apresentou os projetos da Comissão para o quadriênio (2011-2015). Continuar lendo

O Presente de Deus que desprezamos

No mês de outubro, a Igreja do Brasil realiza a Campanha Missionária. Neste ano de 2011, o tema é Missão na Ecologia, que retrata a preocupação com a preservação do meio ambiente, reforçando a discussão levantada pela Campanha da Fraternidade, cujo tema foi Fraternidade e Vida no Planeta. Como cristãos, nosso dever é procurar criar consciência ecológica, despertando amor à criação de Deus.

O mundo moderno desvia o nosso foco do principal compromisso com Deus, que é a preservação da vida como um todo. É espantoso acreditar que proclamamos amor para com Deus em alta voz, juramos fidelidade a Ele, mas nos deixamos enganar com os falsos deuses, como o poder aquisitivo e o consumismo que nos cegam e nos fazem escravos de uma mentalidade egocêntrica.

Nossa vida está sendo cada vez mais alienada pelo consumo descontrolado, não nos importamos com a origem dos produtos que adquirimos (se foram feitos a base de trabalho infantil ou escravo, ou se animais indefesos e em extinção foram mortos), nem com as consequências desta produção, o importante é que estamos na moda e fazemos parte de um grupo que não está por fora, resolvendo o problema individual de cada um. Todo esse processo faz parte de uma mentalidade egoísta e temos a ilusão de que somos indivíduos isolados, podendo cometer erros sem que ninguém note, jogando a sujeira embaixo do tapete. Como consumidores, somos os maiores responsáveis pela instabilidade do planeta, mas sempre jogamos a culpa nas costas dos grandes empresários, que também contribuem diretamente para esta catástrofe ambiental, porém, produzindo o que consumimos. Só há produção, se há consumo. Continuar lendo

SEMEAR A PALAVRA DE DEUS

“Um semeador saiu a semear …” É o início da parábola que está no centro do Evangelho deste 15º Domingo do Tempo Comum (Mateus 13,1-23); um início simples, quase trivial, como parece mais óbvio em seguida: no difícil terreno palestino de então, a semente espalhada “como chuva” cai apenas parcialmente em terra boa, onde irá dar frutos, em grande parte se perde no terreno seco, ou entre as pedras ou entre espinhos.
Com algumas exceções, todas as parábolas apresentam semelhantes traços da vida comum, de pouco interesse à primeira vista: a pesca pobre ou abundante, um homem assaltado por ladrões em uma estrada solitária, um pai que luta com os delírios dos filhos, dois homens que vão orar, uma mulher que percebe ter perdido uma moeda, uma outra prejudicada por falha na justiça.

Pode-se perguntar de onde vem o encanto dessas histórias, ainda vivas após dois mil anos em um mundo mudado radicalmente. A resposta, paradoxalmente, está no fato de que elas não mostram circunstâncias extraordinárias, mas sempre a partir dos pequenos problemas em que nos encontramos presos ou que conhecemos e que hoje também poderiam nos afetar: problemas de todos, como sempre, essencialmente os mesmos que há dois mil anos atrás – mudou apenas no modo externo. Por isso nos envolvem, pois numa ou noutra podemos nos reconhecer, mas muitas vezes as vivemos de uma forma superficial, entediados ou irritados. As parábolas nos fazem descobrir uma dimensão mais profunda, que as removem da banalidade e conferem ao cotidiano toda a espessura da vida real. Continuar lendo

 Ensinaram-nos que deveríamos ser bons, corretos, honestos, porque Deus é amigo das pessoas que sabem se comportar, que praticam os Seus mandamentos. Contudo os Evangelhos nos falam algo diferente. Jesus se aproxima e tem um carinho especial pelos pecadores públicos, pelas prostitutas e gosta de se relacionar com outra classe rejeitada pelos perfeitos: os aleijados, os cegos, os leprosos, os mudos, e os paralíticos.
Como resolver essa situação?

Lendo o Evangelho de hoje, Mt 11,25-30, ouvimos Jesus falar que somente ele conhece o Pai. Não são os doutores da Lei e nem os anciãos que sabem o que agrada Deus, mas ele, Jesus, o Filho. São os pequeninos, e não os sábios, que tiveram a revelação do coração de Deus, do que Lhe agrada.

O Pai não quer que seus filhos queridos se sintam oprimidos e menos ainda excluídos de seu Reino de Justiça e de Amor. Ao contrário, Ele deseja que todos sejam incluídos, que ninguém se sinta abandonado.

Em sua homilia na festa de São Pedro e São Paulo, o Papa Bento XVI tomou como tema a frase de Jo 15, 15 “Já não vos chamo servos, mas amigos”, para desenvolver sua reflexão sobre pastor, ovelha e amizade. Disse o Santo Padre: “A amizade é uma comunhão do pensar e do querer. Conheço os meus e os meus conhecem-Me. Conhece-me de modo muito pessoal. E eu? Conheço-O a Ele? Continuar lendo

Novo Arcebispo de Brasília

Dom Sérgio da Rocha é o novo arcebispo da arquidiocese de Brasília, no Distrito Federal. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 15, pelo papa Bento XVI, que nomeou também o padre Marian Marek Piatek, conhecido como padre Marcos, bispo da prelazia de Coari, no estado do Amazonas, vacante desde julho de 2009. Dom Sérgio, 51, vem para a capital federal transferido de Teresina (PI), onde chegou como arcebispo coadjutor, em 2007, assumindo a arquidiocese em setembro de 2008. Ele sucede a dom João Braz de Aviz que, em janeiro, foi nomeado prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, em Roma. Na última assembleia geral da CNBB, no mês passado, em Aparecida (SP), dom Sérgio foi eleito presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Doutrina da Fé, tornando-se membro do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) e do Conselho Permanente da CNBB. No último quadriênio (2007-2011), foi presidente do Regional do Regional Nordeste 4 da CNBB, que abrange todo o estado do Piauí. Paulista de Dobrada, dom Sérgio nasceu no dia 21 de outubro de 1959. Fez o curso de filosofia no Seminário de São Carlos (SP) e de teologia em Campinas (SP). Ordenado padre no dia 14 de dezembro de 1984, fez mestrado em Teologia Moral na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo, e doutorado na Academia Alfonsiana da Pontifícia Universidade Lateranense, em Roma. Nomeado bispo auxiliar de Fortaleza (CE) em 13 de junho de 2001, recebeu a ordenação episcopal no dia 11 de agosto do mesmo ano. Como bispo, foi membro das Comissões da CNBB: para a Doutrina (2002-2007), Mutirão para Superação da Miséria e da Fome (2001-2004), para os Ministérios Ordenados e da Vida Consagrada (2007-2011). Neste mesmo período, foi presidente do Departamento de Vocações e Ministérios do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam). Continuar lendo